Publicado em: quarta-feira, 18/02/2015

Anderson Silva é suspenso preventivamente por doping

A situação do lutador Anderson Silva está cada vez mais complicada dentro do UFC, por conta dos resultados de exames de doping que foram realizados ultimamente. Ele, que é um dos principais nomes da história do Ultimate Fight Combat e ex-campeão dos médios, acabou sendo punido pela Comissão Atlética de Nevada, em Las Vegas. O caso dele vinha sendo julgado pelo órgão e o resultado saiu ontem, terça feira 17 de fevereiro, depois de realizada uma audiência, em que o lutador não compareceu.

Está marcado um próximo encontro disciplinar, em que o lutador poderá se defender e explicar como foi que o teste deu positivo. Inicialmente, o lutador está suspenso em caráter preventivo pela Comissão. A próxima audiência não tem data certa, mas deve acontecer durante o mês de março. Anderson não esteve presente na audiência e foi representado por Michael Alonzo, seu advogado que o representou via telefone. Anderson Silva voltou ao octógono em fevereiro, depois de passar mais de um ano afastado das lutas, em decorrência de uma lesão na perna no ano passado. Anderson Silva é suspenso preventivamente por doping

Ele venceu o embate com Nick Diaz, que também foi suspenso preventivamente até uma próxima audiência em que irá se defender. Diaz foi flagrada no doping por maconha, no teste que foi realizado no dia da luta do retorno de Anderson Silva. A Suspensão preventiva de Anderson Silva é decorrente do flagra em dois exames antidoping, um que foi testado antes da luta com Diaz e outro no dia do combate, durante o UFC 183, quando venceu o oponente.

O resultado do primeiro exame foi divulgado alguns dias depois que ele venceu a luta contra Diaz, vitória que estava marcando seu retorno ao UFC. A Comissão Atlética de Nevada informou que a demora para divulgação desse resultado positivo, que poderia até ter interferido na luta com Diaz, ocorreu por conta de um atraso do laboratório que testava a amostra. Nesse caso, Anderson Silva foi flagrado pelo uso de duas substâncias: androsterona e drostanolona.

No caso do exame ocorrido no dia da luta, em 31 de janeiro, o teste deu positivo para drostanolona, além do uso de dois ansiolíticos, que são autorizados pela Agência Mundial Antidoping, mas são proibidos pela Comissão Atlética de Nevada, que regulamenta a prática do UFC. A entidade vem demonstrando apoio a Anderson Silva, mas ele foi definitivamente afastado do TUF Brasil.