Publicado em: sábado, 25/08/2012

Anatel determina realização de ligações gratuitas de orelhão da Oi

Anatel determina realização de ligações gratuitas de orelhão da OiContando a partir do dia 30 de agosto, já durante esta semana, as ligações realizadas em orelhões da operadora OI para telefones fixos não poderão ser cobradas, isso dentro de 2.020 municípios do Brasil onde a operadora atua. A medida foi determinada pela Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações, como medida integrante do Plano de Revitalização de Telefonia de Uso Público, iniciado pela Anatel em 2011.

Cada uma das concessionárias teve exigida da Anatel um plano de vistoria e reparo dos aparelhos público de telefone, alem de uma melhoria no sistema de supervisão. Por não ter atingido completamente os objetivos, especialmente no que tange a quantidade de aparelhos por habitantes e restauração nos equipamentos, a Oi precisou realizar um acordo com a Anatel para isentar a cobrança das ligações. A gratuidade deve seguir até os meses de outubro ou dezembro.

Em abril, o mesmo tipo de punição para gratuidade nas ligações foi estabelecida para a Embratel, na realização de chamadas nacionais de longa distância, que fossem realizadas com o uso do código 21. Existem mais de 1,5 mil orelhões sob os cuidados da Embratel. Neste caso, a medida vale até 31 de dezembro, por conta do desempenho insatisfatório da Embratel em executar o plano de revitalização dos telefones públicos.

De acordo com José Gonçalves Neto, superintendente de Universalização da Anatel, a estimativa de valor investido por todas as operadoras para que o plano de revitalização seja cumprido é próximo de duzentos e cinco milhões de reais. Somente a Oi deve investir para revitalizar os orelhões do país mais de cento e sessenta milhões de reais.

O superintendente ainda garantiu que as medidas estabelecidas pela Agência têm resultado em melhoria de serviço prestado em todo o país. Especificamente no caso da Oi, o índice de orelhões ativos e funcionando era de 70% no ano passado, tendo subido para 86% este ano. A Telefônica passou de 70% para 91% e a Embratel de 50% para 69%.