Publicado em: segunda-feira, 03/10/2011

Americana acusada de assassinato de jovem nega crime

A acusada do assassinato de uma estudante britânica na Itália em 2007 negou sua participação no crime. A americana Amanda Knox fez uma declaração emocionada perante o júri de uma corte de apelação, na Itália. “Eu não fiz as coisas que dizem que fiz. Eu não matei, estuprei ou roubei”, afirmou ela. A americana está presa desde 2007 e alega inocência.

A americana, de 24 anos, e seu ex-namorado, o italiano Raffaele Sollecito, de 27 anos, foram condenados respectivamente a 26 e 25 anos de prisão pelo assassinato da britânica Meredith Kercher. A promorotia afirmou que o crime foi constituído por um jogo sexual brutal que deu errado.

O italiano Sollecito também afirmou ser inocente. “Sou um ninguém, mas agora querem que o ninguém passe o resto da vida na prisão”. A defesa afirma que o DNA encontrado na faca apresentada como principal prova contra o casal estaria contaminada. A acusação, entretanto, pede que as sentenças sejam aumentadas dos mais de 20 anos para prisão perpétua.

O caso tem repercutido na mídia Europeia e americana. A família da jovem assassinada afirma que a vítima do caso tem sido esquecida, devido à excessiva atenção dada a Knox. Além do casal, uma terceira foi condenada pelo assassinato da britânica: Rudy Guede, de 21, foi condenado a 30 anos de prisão, que após recurso, foi reduzida para 16.