Publicado em: segunda-feira, 16/06/2014

Altas taxas de impostos e dificuldade de pagamento destes são alvo de críticas do setor de franquias

Altas taxas de impostos e dificuldade de pagamento destes são alvo de críticas do setor de franquiasO assunto principal durante a abertura de uma feira de franquias em São Paulo foram os impostos que são cobrados dos empresários. Segundo Ricardo Camargo, diretor executivo da Associação Brasileira de Franchising, o problema não está diretamente relacionado somente a alta dos impostos, que é constantemente criticada pelos empresários, mas também está ligada a difícil tarefa que os donos de empresa enfrentam para pagá-los.

Segundo Ricardo no Brasil é necessário que haja no mínimo quatro profissionais que atuem na área contábil para que sejam executadas ações que nos Estados Unidos, por exemplo, apenas um profissional dessa área é capaz de realizar, também se faz necessário que se tenha uma equipe de advogados e profissionais de administração para que estes auxiliem o empresário a entender sobre o pagamento de um imposto determinado, de acordo com Ricardo o que precisa ser feito e o que os empresários solicitam é que o sistema se torne mais simples e uma facilitação melhor para que estes impostos sejam pagos.

Segundo Ricardo estes fatores fazem com que os custos dos negócios se tornem maiores e também interferem na produção destas empresas, de acordo com ele se houvesse ao menos uma redução no número de impostos, mesmo que estes valores não sejam repassados aos empresários poderia solucionar os problemas para as empresas que não se encaixam no imposto Simples Nacional que é aplicado em empresas que tem faturamento de no máximo R$ 3.6 milhões anualmente.

No mês de março a Associação Brasileira de Franchising procedeu juntamente com o Conselho Mundial de Franchising, a assinatura de uma carta, onde eles solicitaram que fosse finalizada a cobrança do Imposto Sobre Serviço sobre os royalties que são pagos ao franqueador, a solicitação será direcionada para o Supremo Tribunal Federal, segundo Ricardo é somente no Brasil que os royalties são vistos como um serviço e que não fazem parte do contrato das franquias, de acordo com Ricardo o setor já não tem mais esperança em uma reforma Tributária, já que inúmeras propostas já foram feitas e todas não obtiveram aprovação, de acordo com Ricardo nenhuma delas está sendo analisada pelo Congresso até o presente momento.

Em meio as suas declarações Ricardo declarou que o custos dos produtos ou serviços se tornam mais elevados por conta do alto preço que são cobrados pelos fretes, de acordo com ele o preço cobrado é um dos mais altos do mundo, segundo ele as condições precárias das estradas e a ineficiência verificada nos portos brasileiros afetam diretamente a margem para os que atuam nas franquias, além disso Ricardo também declarou que os aeroportos estão melhores, porém ainda não são capazes de conseguir satisfazer a grande demanda.