Publicado em: sábado, 10/12/2011

Além do fuso horário, frio também é desafio para Santos no Mundial de Clubes

Na disputa do Mundial de Clubes, o Santos terá mais um adversário a ser batido. Além da complicada adaptação ao fuso horário e da qualidade dos adversários que enfrentará, a equipe paulista tem que lidar com o rigoroso frio do inverno japonês para brigar pelo título mundial. Na sexta-feira (9), o treinador Muricy Ramalho realizou treinamento noturno com os jogadores, em horário parecido com o da partida de estreia do clube paulista, 19h30 do horário local, 8h30 horário de Brasília.

O Santos enfrentará o vencedor da partida entre Monterrey, do México, e Kashiwa Reysol, do Japão, na próxima quarta-feira (14). Para conseguir se adaptar ao clima frio, os jogadores treinam usando luvas, gorros e cachecóis. No último treino, Neymar só exibia o cabelo e os olhos. O lateral-direito Danilo disse que a adaptação é difícil, já que a maioria dos jogadores vem de cidades quentes.

Outros jogadores, como o meia Ibson e o atacante Borges, que já tiveram que jogar em situação semelhante, usaram shorts ao invés de calças no treinamento desta sexta. O artilheiro do Campeonato Brasileiro deste ano disse que já enfrentou frios mais rigorosos, lembrando do período em que defendeu o Vegalta Sendai, em 2006, quando precisou jogar embaixo de neve.

Para o zagueiro e capitão Edu Dracena, os treinamentos embaixo do forte frio que faz na cidade de Toyota, local do primeiro jogo do Santos, são importantes porque ajudam os jogadores a se acostumarem com o clima que enfrentarão no dia da partida. Muricy decidiu cancelar os treinos que aconteceriam de manhã para habituar os atletas ao clima que deve fazer na hora da partida.