Publicado em: sexta-feira, 14/06/2013

Aiatolá Khamenei diz que não liga para acusações norte-americanas

Aiatolá Khamenei diz que não liga para acusações norte-americanasO aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, pediu que exista um grande comparecimento durante as eleições presidenciais marcadas para a sexta-feira (14) no País, e disse não dar a mínima para os Estados Unidos que acusaram a votação de ser injusta. Khamenei disse na TV após votar na capital Teerã que o que importa é que as pessoas participem. Ele ainda falou que a nação iraniana deve comparecer com entusiasmo e com vivacidade, e saber que o destino da nação está nas mãos das pessoas e que a felicidade do país vai depender deles.

Esta votação de sexta-feira (14) é a primeira eleição presidencial do País desde o ano de 2009, em que foi contestada a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad que causou meses de conflitos dentro da República Islâmica.

O líder do país ainda ridicularizou preocupações que os ocidentais tem sobre a credibilidade desta votação. Ele disse que recentemente havia ouvido que alguém do Conselho de Segurança Nacional norte-americano dizendo que não aceitavam a eleição do Irã, porém disse que eles não dão mínima.

No dia 24 de maio, o secretário de Estado John Kerry dos Estados Unidos, duvidou da credibilidade desta eleição e fez críticas para a desqualificação de certos candidatos e acusou Teerã de interromper acesso para a Internet. O Conselho dos Guardiães do Irã que é um órgão estatal que faz a avaliação dos candidatos, barrou diversos candidaturas, inclusive a do ex-presidente Akbar Hashemi Rafsanjani, que é apontado como simpático para reformas.

Os cidadãos iranianos poderão escolher um candidato em uma chapa composta por seis candidatos, grande parte deles são conservadores, que foram aprovados no Conselho.