Publicado em: quarta-feira, 26/03/2014

Agronegócio: Fatores climáticos seguirão afetando lavouras brasileiras

Agronegócio: Fatores climáticos seguirão afetando lavouras brasileirasO Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil (Inmet) afirmou que os efeitos do fenômeno El Niño podem gerar novos prejuízos às plantações brasileiras, especialmente para o café, a cana-de-açúcar e a laranja. Entretanto, as próximas colheitas de milho e soja podem ter clima perfeito.

De acordo com os meteorologistas, o El Niño não é registrado no Brasil desde 2009, e a expectativa de isso acontecer é baseada na elevação das temperaturas de superfície do oceano Pacífico. Em 2013, o país mais afetado pelo fenômeno climático foi a Argentina, e alguns reflexos foram identificados na região Sul do Brasil, que no início deste ano sofreu com o clima mais quente e seco que o habitual.

A expectativa é que a manifestação do El Niño comece a ocorrer em junho. Porém, o Inmet não dá garantias de que isso realmente vá acontecer, mas ainda assim produtores e cooperativas já estão atentos aos possíveis efeitos caso realmente ocorra, já que o Brasil é o maior exportador mundial de açúcar, café e soja.

Bom sinal para alguns

Estimativas preliminares apontam que há 75% de chances de retorno do efeito. Entre os reflexos estariam um maior clima úmido na região centro-sul, prejudicando o teor de açúcar da produção de cana na principal área produtora do país. Produtoras de etanol também estão alerta à possibilidade.

Já os produtores de grão como milho e soja ficariam bastante satisfeitos com chuvas constantes nos meses de junho e julho, que proporcionariam condições ideais para a safra. A possibilidade de grandes reflexos nos estados do Mato Grosso do Sul e Paraná, maiores produtores de soja do Brasil, é animadora para os analistas do mercado do agronegócio, já que compensariam as perdas causadas pelo clima desfavorável no final de 2013 e início deste ano.