Publicado em: sexta-feira, 20/07/2012

Agência americana lança remédio para tratamento da obesidade

A agência americana Food and Drug Administration, FDA, responsável pela regulação do comércio tanto de medicamentos quanto de alimentos nos Estados Unidos, liberou a venda de um novo medicamento para tratamento da obesidade. O remédio é conhecido como Qsymia, inicialmente chamado de Qnexa. O medicamento foi produzido pelo laboratório Vivus.

O remédio é resultado de uma combinação de duas diferentes drogas, utilizadas já em nível mundial: o topiramato e a pentermina. Este é o segundo medicamento que chega ao mercado nos Estados Unidos, dentro de um período de 40 dias, depois que a FDA ficou mais de dez anos sem liberar a entrada de nenhum medicamento contra o excesso de peso no mercado norte-americano.

A nova droga é indicada para casos específicos: pessoas adultas que apresentem um IMC, Índice de Massa Corporal, de 30 ou mais. Ou para quem apresentar IMC de 27, no caso, sobrepeso, mas apresentando colesterol alto, diabetes ou hipertensão. Foram realizados testes com mais de três mil e quinhentos pacientes, onde os resultados indicaram que as pessoas que consumiram o medicamento, chegaram a perder quase 9% do peso, em comparação aos pacientes que participaram do teste tomando placebo.

Colocações

Janet Woodcock, diretora do Centro do FDA, explicou que a obesidade ameaça o bem estar de vários paciente, sendo ainda considerado nos Estados Unidos um problema de saúde pública. Os especialistas brasileiros receberam a liberação da venda com muito entusiasmo.

A presidente da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), Rosana Radominski, afirma que a postura da FDA parece estar mudando, já que autorizaram em 40 dias dois medicamentos contra a obesidade, coisa que ficaram sem fazer durante o período de longos 13 anos. Além disso, destacou a importância por conta do aumento do peso da população em geral, deixando os médicos com poucas opções terapêuticas de tratamento.

Desde 1998, a droga pentermina é proibida no Brasil, enquanto que o topiramato é usado com freqüência no tratamento contra enxaquecas e epilepsia. O novo medicamento age no sistema nervoso central, mas, ganha mais força por estar combinado entre duas substâncias.