Publicado em: quarta-feira, 28/05/2014

Advogado de Suzane afirma que imagens foram captadas ‘clandestinamente’, não podendo ser exibidas

Advogado de Suzane afirma que imagens foram captadas ‘clandestinamente’, não podendo ser exibidasDepois de muita polêmica em torno do anuncio feito no Fantástico no último domingo (18), sobre a liminar que conseguiu proibir o programa de exibir uma matéria sobre como anda o cumprimento da pena de Suzane von Richthofen, seu advogado, Denivaldo Barno, explicou o motivo que levou a essa decisão. “O problema é o seguinte: foram imagens obtidas de dentro do estabelecimento penitenciário, de forma clandestina e não autorizada”, contou. Ele não quis falar sobre a postura que o jornalismo da emissora teve em relação a decisão da Justiça, classificando-a como uma “forma de censura”. “Não posso falar pela Globo. Sei que ela cumpriu a decisão”, completa. Quando é perguntado se Suzane, condenada a pena de 39 anos em regime fechado pelo assassinato dos pais em 2002, em SP, está realmente exigindo um regime mais leve, permitindo que ela possa passar um dia fora da cadeia, assim como foi informado pelo Fantástico, Denivaldo lança a hipótese: “Nós estamos aguardando uma decisão acerca da progressão de regime. Ou seja, ela muda de estabelecimento penitenciário, vai para um outro. Mas ainda não há nada decidido”, diz, destacando que o processo corre em segredo na justiça. A emissora Globo garantiu, por meio da Central Globo de Comunicação, que irá recorrer a decisão da Justiça, assim como já havia sido informado por Renata Vasconcellos e Tadeu Schimidt no Fantástico.

Fantástico do último domingo

Por meio de um comunicado, Renata Vasconcellos e Tadeu Schimidit informaram ao telespectador que, a matéria que iria ser exibida na sequência do programa foi proibida pela Justiça. Releia a nota, dita por Tadeu: “O Fantástico de hoje foi proibido pela Justiça de exibir uma das matérias jornalísticas que a gente anunciou ao longo da semana. Trata-se de uma reportagem sobre Suzane, que cumpre pena de 39 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato dos próprios pais em 2002, em SP. Atendendo a uma liminar pleiteada pelo advogado de Suzane o juiz Dálcio Giraldi do Plantão Judicial do Fórum da Barra Funda, em São Paulo, a Justiça determinou que a TV Globo se abstenha de difundir informações relativas ao segredo de justiça sobre o exame criminológico de Suzane, além de imagens de Suzane para as quais não haja autorização de captação e veiculação”.