Publicado em: quarta-feira, 28/09/2011

Advogado de médico diz que Michael Jackson foi o responsável pela própria morte

Nesta terça-feira, dia 26, iniciou o julgamento do médico Conrad Murray, acusado de ser responsável pela morte do cantor Michael Jackson. O julgamento está sendo realizado em Los Angeles. Murray se disse é inocente e afirma que Michael tomou os remédios quando ele saiu do quarto.

O advogado Ed Chernoff explicou para os jurados que o cantor ingeriu oito comprimido de 2 mg do medicamento Lorazepam, o que fez a concentração do medicamento em seu organismo ficam em 0,169 microgramas por mililitro de sangue, o suficiente para fazer seis pessoas dormir.

O advogado explicou que o cantor bebeu os remédios sem que o médico soubesse, com a intenção de conseguir dormir. Além disso, ele misturou Lorazepam com uma dose de Propofol, para aliviar dor.

A acusação afirmou que Michael morreu porque confiou demais em seu médico, que foi negligente, pois deu Propofol para que o paciente dormir, sendo que na verdade o remédio é indicado para pacientes durante cirurgia. Murray pode perder a licença para trabalhar e ficar quatro anos na prisão se for condenado por homicídio culposo.