Publicado em: quinta-feira, 01/08/2013

Aditivos de cigarro que não dão sabor nem cheiro são liberados pela Anvisa

Aditivos de cigarro que não dão sabor nem cheiro são liberados pela AnvisaEm uma decisão que atende aos interesses da indústria de cigarro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, também conhecida como Anvisa, liberou em caráter temporário o uso de aditivos ao cigarro. No entanto, esses aditivos só estão liberados caso não agreguem sabor nem cheiro ao fumo.

A decisão foi tomada pela Anvisa na última terça-feira (30), diante de pedidos feitos pela Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo). A entidade queria a autorização da utilização de pelo menos 180 aditivos que, de acordo com eles, são fundamentais para a produção do cigarro, além de alterar a maneira de se medir o quanto de açúcar é usado na fabricação dos cigarros. A associação ainda pedia para que a Agência aumentasse em seis meses o prazo máximo para começar a valer a resolução da Anvisa que proibiu o uso de aditivos de sabor acrescentados ao fumo.

No começo do ano passado, a Anvisa proibiu o uso de uma série de substâncias que eram adicionadas aos cigarros com sabor, como o de menta e o de cravo. A indústria tabagista deveria estar adaptada a essas mudanças a partir de setembro de 2013. No entanto, os produtos que utilizam aditivos de sabor ainda poderão ser vendidos até março do ano que vem.

Liberação de aditivos ao fumo

As justificativas da Abifumo para os pedidos é de que, como a Anvisa não definiu bem quais substâncias poderão ou não ser adicionadas ao fumo, as fábricas de cigarro não teria tempo suficiente para se adaptarem às mudanças.

A liberação temporária do uso de aditivos que não alteram o sabor e o cheiro do cigarro foi definida na terça-feira e deve ficar em vigor até que a Agência tenha uma resolução definitiva para essa questão.