Publicado em: quarta-feira, 09/11/2011

Acusados de matar Patrícia Acioli começam a ser julgados nesta quarta-feira

Na manhã desta quarta-feira, dia 9 de novembro, inicia o julgamento dos 11 policiais acusados de participarem do assassinato da juíza Patrícia Acioli, em 11 de agosto. Ela foi morta dom 21 tiros em frente a sua casa, em Piratininga, Niterói, Rio de Janeiro. As audiências aconteceram no Tribunal do Júri em Niterói.

Para o caso, serão ouvidas 150 testemunhas e também os acusados. Indicado como o mandante do crime, o tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) e o 22º BPM (Maré) também será ouvido. Desde o dia 27 de setembro, ele está preso em Bangu 1 juntamente com os demais policiais militares suspeitos de envolvimento no assassinato.

Nesta terça-feira, os desembargadores da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negaram o pedido de habeas corpus de Oliveira. Nesta decisão, eles também resolveram que o acusado só poderá receber visitas dos advogados ou dos familiares a cada dez dias.

O pedido de transferência dos acusados já havia sido negado anteriormente. Os promotores queriam transferência e, também, que os agentes fossem submetidos ao Regime Disciplinar Diferenciado, que compões restrições de comunicação e isolamento. Porém, o juiz Peterson Barroso Simão acredita que a retirada dos acusados do estado complicaria os trabalhos.