Publicado em: terça-feira, 27/09/2011

Acusado da morte da juíza Patrícia Acioli já está preso

O tenente-coronel Claudio Oliveira, apontado como mandante da morte da juíza Patrícia Acioli, já está preso na carceragem do Batalhão de Choque desde o início da madrugada dessa terça-feira. Além disso, segundo nota enviada pela polícia militar, foi exonerado do comando da 22ºBPM.

No final da noite de terça feira (26) a prisão de Claudio Oliveira foi decretada pelo Tribunal de Justiça do Rio. Essa decisão veio após um policial preso por envolvimento no assassinato ter afirmado em depoimento que o mandante teria sido Oliveira. A confissão foi através do benefício da delação premiada, onde o policial pode conseguir uma redução da pena.

O ex-comandante ainda estaria no 7ºBPM (São Gonçalo) quando decretou a morte da juíza. Ele está há 26 anos na Polícia Militar. Juntamente com ele, outros cinco policiais que trabalhavam na mesma unidade tiveram as prisões decretadas. Eles são acusados, inicialmente, de forjar um auto de resistência (morte em confronto com a polícia) para disfarçar o assassinato de um jovem de 18 anos durante uma ação policial no Complexo do Salgueiro.

Segundo investigação da polícia, o que teria motivado o assassinato da juíza foi quando ela incluiu a morte desse jovem no inquérito que investigava essa ação policial. Até o momento, apenas duas policiais haviam sido presos por esse assassinato.