Publicado em: sexta-feira, 10/08/2012

Acesso a medicamentos para asma cresce 94% no país com fornecimento gratuito

Acesso a medicamentos para asma cresce 94% no país com fornecimento gratuitoCom a inclusão de novos medicamentos para o tratamento de asma na lista de remédios gratuitos da farmácia popular, há cerca de dois meses, o acesso cresceu quase 90% no Rio de Janeiro. Isso significa que antes do governo oferecer remédios gratuitos, grande parte dos pacientes precisava tomar o remédio, mas não adquiriam por falta de dinheiro. Um levantamento mostrou que em todo o Brasil, 141 mil pessoas passaram a tomar o medicamento com a inclusão de três nomes na lista. Isso equivale a um aumento de 94% se comparado com o uso antes da iniciativa proposta pelo governo. Estão sendo distribuídos gratuitamente desde junho o

brometo de ipratrópio, diproprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol. Eles já possuíam desconto no Programa Aqui tem Farmácia Popular, mas mesmo assim grande parte dos usuários não podiam adquirir. Em pouco mais de 60 dias, somente no Rio, o número de pessoas recebendo o remédio passou de 3,5 mil para 6,7 mil. A distribuição teve início no dia 4 de junho e, no dia 17 de junho, quando o governo lançou o primeiro relatório, a procura já havia aumentado 60%.

Remédio tinha grande procura e doença afetava mais crianças

Segundo Marco Aurélio Pereira, coordenador do Programa Farmácia Popular, o governo optou pela inclusão desses medicamentos na lista de gratuidades por dois motivos. O primeiro é a grande procura pelos remédios nas unidades de saúde do governo. Além disso, a asma tende anda a afetar mais crianças que adultos. Essa iniciativa, segundo ele, está relacionada com o Programa Brasil Carinhoso, lançado em junho pela presidente Dilma e que tem como foco o atendimento de crianças de 0 a 6 anos. De acordo com o SUS mais de em terço das internações de pacientes com asma envolve crianças nessa faixa etária.