Publicado em: terça-feira, 11/09/2012

Ação do Bope na Chatuba prende suspeitos da morte dos jovens no Rio

Ação do Bope na Chatuba prende suspeitos da morte dos jovens no RioSete pessoas já foram presas em uma ocupação realizada pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) e pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChq) na favela da Chatuba, em Mesquita, localizada na Baixada Fluminense, que iniciou na madrugada de ontem.

Presos como suspeitos, estão Ricardo Sales da Silva, que tem 25 anos e Monica da Silva Francisco, com 20 anos. Os dois estariam, segundo informações do Bope, com 433 papelotes de cocaína e com mais 41 pedras de crack. Um homem, que foi identificado apenas como Beto Gorducho, também foi preso, já que estaria em uma casa tendo em mãos 50 gramas de cocaína e mais 15 mil reais em dinheiro.

Toda a operação está contando com o apoio de diversos carros blindados dos fuzileiros navais e mais de 250 policiais militares. O comando afirmou que a ação da polícia não tem prazo para acabar.

Os traficantes da favela são suspeitos de terem efetuado as mortes de pelo menos oito pessoas no final de semana. Dentre eles, estão seis jovens que tinham entre 16 e 19 anos, que saíram para visitar um parque no sábado (8) para tomar banho de cachoeira e não voltaram para casa. Os corpos de Glauber Siqueira, Victor Hugo Costa e Douglas Ribeiro, de 17 anos, Christian Vieira, de 19, e Josias Searles e Patrick Machado, de 16, foram avistados ontem (10) nas margens da Via Dutra. Eles foram velados hoje de manhã em um ginásio municipal de Nilópolis e serão enterrados às 14h de hoje, no Cemitério de Olinda.

A investigação da PM aponta a participação de pelo menos 20 traficantes nos assassinatos, segundo o delegado Júlio da Silva Filho, que é o titular da 53ª DP (Mesquita). Para o delegado, os jovens teriam sido mortos por terem residência em uma das comunidades que pertencem a uma facção criminosa que é rival à dos traficantes da Chatuba. O comando também afirmou que, além do assassinato dos jovens, os criminosos seriam responsáveis pela morte de um pastor, chamado de Alexandre Lima, e também a morte de um aspirante a PM. A polícia também está investigando o desaparecimento de José Aldecir da Silva, que acompanhava o pastor pela comunidade.