Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Abandonar o tabagismo tem mesmo efeito de antidepressivo, afirma pesquisa

Abandonar o tabagismo tem mesmo efeito de antidepressivo, afirma pesquisaO hábito de fumar geralmente é atrelado à uma sensação de relaxamento pelos dependentes do cigarro. Mas um estudo publicado na Inglaterra aponta que abandonar o fumo gera não apenas benefícios à saúde física, mas também à mental. Os pesquisadores chegaram à conclusão que largar o cigarro tem o mesmo efeito “de antidepressivos utilizados no tratamento da ansiedade, ou de transtornos de humor”.

A pesquisa publicada no British Medical Journal (BMJ), na última sexta-feira (14), foi realizada aponta após a revisão de 26 estudos sobre o tema, que envolveram fumantes idade média de 44 anos, e que consumiam de 10 a 40 cigarros por dia.

Em um período que variou de seis semanas a seis meses, entre a tentativa de largar o cigarro e após o abandono do vício, foram realizadas entrevistas com os participantes, que eram 48% do sexo masculino. E os resultados apontaram que aqueles que conseguiram deixar o hábito de fumar tinham menos sensação de depressão, estresse e ansiedade. Os que apresentavam transtornos mentais tiveram melhoras consideráveis, apesar de alguns fumantes terem apresentado recaídas.

A expectativa é que este estudo sirva justamente para eliminar justamente o argumento de que fumar pode ser relaxante. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a causa de seis milhões de mortes ao ano, e esse número pode subir para oito milhões nos próximos 16 anos.

Garoto propaganda de marca morre

O ator Eric Lawson, que interpretou o caubói da marca de cigarros Malboro na década de 70, morreu no último dia 27 de janeiro, aos 72 anos, vítima de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPCO). Lawson fumava desde os 14 anos, e chegou a participar de campanhas contra o cigarro, parodiando o personagem que o consagrou.

Os atores David Millar e David McLean, que também participaram de famosos anúncios de cigarro, morreram por problemas relacionados ao fumo. Millar teve enfisema pulmonar em 1987, e McLean foi vencido pelo câncer no pulmão, em 1995.