Publicado em: sexta-feira, 24/01/2014

A partir de março, SUS vai liberar vacinas de HPV para meninas de 11 a 13 anos

SUS vai liberar vacinas de HPV para meninas de 11 a 13 anosA partir do dia 10 de março o Sistema único de Saúde (SUS) vai vacinar as meninas de 11 a 13 anos contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV. O objetivo da campanha é prevenir o câncer de colo de útero em pelo menos 80% das mais de 5 milhões de meninas que fazem parte do público-alvo da ação.

O ministério da Saúde declarou que vai realizar a imunização em três doses, isto porque a expectativa é que a ação seja mais eficaz. Deste modo, a campanha terá início no dia 10 de março, e vai ser feita também pelas escolas públicas e privadas, em 36 mil salas de vacina do SUS. Já as demais doses serão aplicadas depois de seis meses e cinco anos da primeira dose, aplicadas apenas pelo SUS.

Segundo Carla Domingues, coordenadora do programa de Imunização do Ministério da Saúde, a parceria com as escolas tem o objetivo de efetivar uma cobertura quase que total da vacinação. A novidade deste ano é que as vacinas também serão aplicadas nas meninas que têm de 11 a 13 anos. Em 2015, de 9 a 11 anos, e depois já começará a ser aplicada a partir dos 9. Quando isso ocorrer, a menina que não tiver tomada a primeira dose e estiver dentro do quadro de vacinação, ela também poderá receber o medicamento.

De acordo com dados de pesquisas, quando a proteção com a vacina é feita nessa faixa etária, a produção de anticorpos que protegem a mulher do vírus é muito maior e mais intensa. Outro dado, é que muitas garotas com 13 anos já têm relações sexuais, por isso, com a vacina, os meninos que se relacionarem com eles também ficarão protegidos.

As adolescentes que forem se vacinar nas escolas deverão levar com elas a carteira de vacinação junto com a identidade. Caso os pais não aceitem a vacina, eles deverão assinar um termo de recusa.

A expectativa do Ministério da Saúde é que a adesão da campanha será grande e intensa. Para isso, a pasta vai investir mais de R$ 1 bilhão na compra de 41 milhões de doses.