Publicado em: sexta-feira, 24/01/2014

A partir da próxima segunda-feira argentinos poderão comprar dólares

Argentinos poderão comprar dólaresDepois de uma grande desvalorização do peso nos últimos dias, o governo da Argentina afrouxou o cerco ao mercado de câmbio. Jorge Capitanich, chefe de Gabinete de Ministros, declarou na manhã de hoje que a partir da segunda-feira que vem serão eliminadas as barreiras para a compra de divisas e que a alíquota de 35% vai passar para 20%, isto quando for usada para saques de divisas com cartões de crédito no exterior.

Mas, como nem tudo é perfeito, a liberação será realizada apenas para as pessoas físicas, e além disso, será possível realiza-la apenas depois que a renda for declarada para a AFIP, Administração Federação de Rendas Públicas. De acordo com o ministro da Economia, Axel Kicillof, eles optaram por liberar o dólar para poupar as pessoas físicas segundo a renda declarada.

Essas atitudes foram tomadas depois da moeda do país, o peso argentino, ter sido desvalorizado cerca de 8,5% comparado com o dólar. O câmbio oficial fechou a cotação em 7,75 pesos por dólar. Já nas casas que possuem a autorização do governo, a moeda teve um aumento de mais de 12%, chegando então a 7,96 para compra e 8,01 para venda. No mercado paralelo, a alta foi de 7,49%, sendo que a compra chegou a 13,010 e a venda a 13,06.

Aldo Pignanelli, ex-presidente do Banco Central, criticou a postura do ministro que fez o anúncio na Argentina. Para ele, isso não se passou de uma improvisação, já que o correto seria o BC relatar a mudança, dando as instruções para casas de câmbio e bancos. Ele ainda disse, que do jeito que as coisas andam, está não foi a melhor opção, já que liberar a compra de divisas escoariam as reservas.

Para Pignanelli, a declaração do Banco Central terá restrições para que seja liberada a aquisição.