Publicado em: quinta-feira, 22/05/2014

A modelo brasileira Myrella Ikeda quer R$ 3 mi de indenização do salão J. Sisters após a queda de seu cabelo

A modelo brasileira Myrella Ikeda quer 3 mi de indenização do salão J. Sisters após a queda de seu cabeloApós perder grande parte dos cabelos por conta de um tratamento de beleza, a modelo brasileira Myrella Ikeda entrou com uma ação contra o salão J. Sisters, que é famoso e bem frequentado, principalmente por celebridades em Nova York. As donas do local são sete irmãs capixabas. A modelo quer US$ 1,5 milhão (R$3,3 milhões) de indenização pelo ocorrido. De acordo com o processo judicial, que está em fase de julgamento na Corte Federal de Manhattan, Myrella teve sua carreira “destruída” e após a perda dos cabelos, entrou em depressão, o fato aconteceu após ela ter sido convidada por um repórter a participar de um tratamento de beleza que seria exibido em uma revista.

Segundo a coproprietária do J. Sisters, uma das irmãs, Jonice Padilha, que foi citada na ação, afirma que o cabelereiro foi demitido depois da falha no procedimento e conta que até mesmo ela, teve os cabelos danificados após passar pelas mãos deste profissional. Jonice ainda alega ao “NY Daily News” que está disposta a chegar em um acordo com Myrella, se ela quiser aceitar, acreditando que o valor da indenização é exorbitante. “Eu realmente sinto muito. Mas, US$ 1,5 milhão, não. Vamos ser realistas”, opina.

Procedimento falho

O tratamento que foi apresentado a Myrella, foram feitos com “produtos orgânicos naturais” que tem a função de hidratar os fios, chamado Naturlite White Lightening Powder [Pó Iluminador Branco, em tradução], o produto deu uma reação diferente no cabelo da modelo e fez com que eles caíssem na mesma hora.

O advogado dela explica que, Myrella sentiu como se tivesse colocado fogo em seu couro cabeludo ou esfregado pimenta vermelha nele. Ele também conta que o cabelereiro responsável pela aplicação do produto, Antonio Luis Rosa, afirmou que a reação era “normal” e ainda pediu para que ela não se preocupasse. A química ficou cerca de uma hora no cabelo da modelo. Para finalizar o procedimento, o cabelereiro teria usado uma chapinha elétrica no cabelo da modelo, o que resultou na queda imediata dos fios. “Posteriormente, o cabelo da modelo voltou a crescer, porém mais fino e com menos brilho”, detalha o texto da ação.