Publicado em: quinta-feira, 13/03/2014

A injeção de substâncias em membros do corpo afim de deixá-los ‘definidos’ como músculos, podem trazer sérias consequências

A injeção de substâncias em membros do corpo afim de deixá-los ‘definidos’ como músculos, podem trazer sérias consequênciasA busca por um corpo definido e o anseio por resultados rápidos, tem levado pessoas a fazer uso de técnicas caseiras para ‘definir’ os músculos e tentar deixar como se aquele procedimento fosse igual a de uma pessoa que passa meses a fio na academia para ter um bom resultado. Entretanto, a chance desse procedimento estético caseiro dar certo, é quase nulo.

Para algumas pessoas, na grande maioria homens, vale tudo, injetam desde óleo mineral e álcool, até silicone industrial afim de aumentar o tamanho de algumas partes do corpo, principalmente o bíceps. Essas medidas são condenadas pelos médicos, os especialistas afirma que, os métodos são muito perigosos e trazem um grande risco a saúde, podendo até matar. Só este mês, dois casos de pessoas que recorreram a este procedimento e tiveram sérias consequências, levando a óbito, foram registrados.

Um deles aconteceu em Goiânia (GO), Marcos Paulo Batista, de 34 anos, era analista de laboratório e morreu após aplicar por conta própria silicone industrial nos braços, ele ficou internado durante 12 dias, segundo informações da Polícia Civil, este tipo de óleo em que ele injetou é o mesmo usado para limpeza de carros e impermeabilização de azulejos. Já em Olinda (PE), o caso foi parecido, o pedreiro Arlindo de Souza, de 43 anos, morreu após injetar óleo mineral e álcool nos braços, afim de modular seus bíceps. O pedreiro ficou conhecido, após sua história ser contada pelo site “Huffington Post”, sendo até apelidado de “Popeye da vida real.”

Consequências

Segundo o médico infectologista e presidente da associação de médicos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Paulo Olzon, os dois procedimentos de injeção de substancias, podem afetar os usuários, causando sérias consequências, elas podem invadir entrar na corrente sanguínea, desencadeando uma embolia pulmonar, quando há o bloqueio nas artérias e veias do pulmão. Além disso, essas pessoas também estão sujeitas a uma infecção, tendo grandes chances do membro em que a substancia foi aplicada, sofrer uma trombose e assim, levando a amputação.