Publicado em: quarta-feira, 22/01/2014

A genética sendo dividida como Coruja e cotovias, relata cientista

A genética sendo dividida Todo mundo precisa de algumas horas de sono para se sentirem bem. Algumas acordam cedo sem nenhuma dificuldade, outras já pensam que não vão se atrasar para o trabalho se dormirem mais um pouco. Tem gente que prefere ficar acordado até tarde, mas também não abre mão em dormir mais cedo.

A genética define muitas coisas nos seres humanos e o neurogeneticista da Universidade da Califórnia, Louis Ptacek, diz que nós somos divididos entre corujas e cotovias. Querendo ou não, quem define a hora de dormir são nossos pais.

Foi descoberto pelos cientistas que é importante se entender com o cronotipo de cada ser. Assim sendo tem uma hora do dia que é mais produtiva pra cada pessoa e isso poderá ajudá-la para sua vivência no mundo de hoje.

O professor de farmácia, Rick Neubig, em Michigan (E.U.A) é uma pessoa que tem hábitos diurnos. Ele costuma trocar e-mails com outras pessoas na Europa e sempre estão reparando que ele manda as mensagens bem mais cedo que o normal. O que ele mais gosta é de observar os pássaros e na parte da manhã é o melhor horário para isso. Ele relata que percebe que é muito mais fácil pra ele acordar de madrugada para vê-los do que outras pessoas ao fazer isso.
Para Neubig esse hábito é hereditário porque sua mãe, quando era pequeno, acordava ele de madrugada para viajar com a família. Hoje em dia sua filha está se acostumando a essa atividade também logo pela manhã.

O especialista faz acompanhamento com os familiares de “corujas”. De acordo com ele, se o relógio biológico for rápido, logo de manhã a pessoa já acorda com vontade de fazer várias coisas, e isso pode acontecer de uma forma inversa também.
Ao longo da nossa vida os relógios costumam mudar, principalmente pra quem tem filhos pequenos e sabem que eles acordam bem cedo, como os mais velhos.