Publicado em: quinta-feira, 12/02/2015

Cubanos podem ficar de fora da nova fase do Mais Médicos

Os profissionais da medicina oriundos de Cuba podem acabar ficando de fora da próxima fase do programa do governo federal Mais Médicos. De acordo com Arthur Chioro, o Ministro da Saúde, por conta da alta adesão de profissionais formados no Brasil nesta nova fase, existe uma grande possibilidade de que não seja aberto o recrutamento externo, firmado através de convênio com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Ele avaliou que se essa adesão for confirmada, não será necessário recorrer a esse convênio com os profissionais de Cuba.

No início do programa, a contratação de profissionais cubanos chegou a causar em todo o país uma grande controvérsia. Muitos médicos brasileiros foram contrários e se manifestaram contra a medida. Entretanto, mesmo diante da polêmica, a contratação de médicos cubanos pelo programa Mais Médicos foi o maior responsável pela ocupação das vagas na primeira fase. Chegou a quase 80% o número de médicos que se inscreveu na primeira fase do Mais Médicos recrutados através do convênio com a Opas. A preferência, conforme foi estabelecida em lei, é para que médicos do Brasil ocupem as oportunidades, mas houve pouco interesse no início. Depois dos brasileiros, a prioridade é para médicos do exterior e só por último vem o convênio com a Opas.Cubanos podem ficar de fora da nova fase do Mais Médicos

Com uma maior procura e adesão de profissionais do Brasil ao programa, isso indica que o Mais Médicos está mais atrativo. Nesse semana, foram divulgados números indicando que dos mais de 15 mil profissionais que se formaram no Brasil para disputar as pouco mais de quatro mil vagas, cerca de 3.900 deles foram selecionados para o programas. As 210 vagas que sobrarão serão concorridas por médicos que não passaram na primeira etapa. O ministro comemorou a procura e afirmou que se tratou de uma adesão bastante significativa.

Para Chioro essa mudança se deve a uma mudança no comportamento dos médicos, incluindo ainda a fusão do Provab no mais médicos, determinando que os profissionais que ficarem no programa por um ano garantem um bônus de 10% quando forem realizar a prova para residência médica. Quem já foi selecionado pelo programa, precisa se apresentar nos municípios com documento oficial até o dia 20, além de cópia de um comprovante da conclusão do ensino superior.